Esportes  »  Futebol  »  Politica

Patricia Amorim pode ser expulsa do Flamengo

Patricia Amorim pode ser expulsa do Flamengo

Patricia Amorim não é mais presidente do Flamengo desde a eleição de dezembro de 2012, quando Eduardo Bandeira de Melo assumiu como mandatário do clube. Porém, agora, se não conseguir justificar os gastos de mais de R$ 7 milhões durante a sua gestão, poderá ser expulsa definitivamente. A decisão será de uma comissão do Conselho Deliberativo na noite desta terça-feira.

Desde a sua saída, foi apurado um adiantamento de mais de RS 7 milhões em receitas e R$ 1,6 milhão desses gastos ainda não foram justificados de maneira correta. Neste montante, o que mais chama a atenção dos auditores é um gasto de aproximadamente R$ 45 mil para festa de confraternização de funcionários justificado com nota fiscal do ano de 1994.

“De fato, houve a festinha lá para o pessoal, o que é justo e muito bonito até. E dentro de uma realidade, realizada com um custo barato. O que não pode é apresentar uma nota datada de quase 20 anos atrás para isso. Temos que entender exatamente o destino de uma receita do clube”, disse o presidente da comissão criada para investigar os gastos de Patricia, Moysés Akerman, ao UOL.

Além da ex-presidente, outros três nomes surgem como responsáveis pelos gastos não justificados: o ex-vice de finanças Michel Levy, o controller (responsável pela área contábil) do clube na época, William Pereira, e o então presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro. “A empresa que paga o evento é co-autora ao aceitar e repassar uma nota tão antiga. Todos sabiam disso”, reforçou Moysés.

Se for confirmado a infâmia, Patricia Amorim será expulsa do quadro social do clube e obrigada a devolver o valor não justificado. Porém, antes de se ter certeza das acusações, o presidente da comissão explicou todo o processo até chegar ao valor em questão:

“Primeiro, votamos a prestação de contas e observamos que um valor de R$ 7 milhões não estava batendo. Aprovamos parcialmente o exercício de 2011, fizemos uma ressalva e criamos essa comissão para apurar esta inconsistência. Refazendo as contas e com novas justificativas, tivemos ainda um gasto de R$ 1,6 milhão indevido. Vamos apresentar o parecer na reunião do Conselho Deliberativo nesta terça e definir a criação de uma nova comissão. Desta vez, será aberto um processo disciplinar. Eles precisam explicar e, claro, se defender. Daremos esse direito”.

Apesar das acusações, a ex-mandatária já afirmou que não tem nada mal explicado e ainda fez questão de dizer que está sofrendo perseguição política do grupo que está no poder. Porém, Moysés rebateu:

“Ninguém persegue ninguém. Queremos apenas fechar uma conta. Aconteceram coisas que não têm uma explicação coerente nos balanços e temos que esclarecer. O que pretendemos é criar um modelo para que isso não ocorra mais. Vamos apurar e até punir quem lesou o clube, se necessário. Queremos dar esse exemplo, mas sem qualquer tom político. Pensamos apenas na saúde financeira do Flamengo. E eles podem muito bem resolver isso: é só aparecer com as notas. Se tiverem boas justificativas e provarem de maneira correta os gastos, está encerrado o assunto. Não precisa nem de reunião. Do contrário, criaremos uma nova comissão, sim. Não podemos deixar passar”, encerrou.      Fonte

Renato Augusto negou salário maior do Fla

SITES NÃO OFICIAIS DE CLUBES DE FUTEBOL NO BRASIL

Ronaldo se envolve em incidente com travesti no Rio de Janeiro …

ENTENDA O CASO ENVOLVENDO O GOLEIRO BRUNO

VENDA DE PRODUTOS DE FUTEBOL NO BRASIL

Comente este artigo :

Tags: , , , ,